Nossa história


O centro de capacitação agrocomunitario CCA foi fundado em 1988 como centro de treinamento agrícola (CTA), com o apoio da KNH, que favoreceu o atendimento a adolescentes na zona rural e urbana, filhos de agricultores que estudavam na rede pública e no contra turno escolar participavam de formação teórica e prática para a cidadania e pré profissionalizante no cultivo de terra com técnicas e alternativas ecologicamente corretas e viáveis para o Semiárido.

Em 2003, passou por um processo de reoordenamento, deixou de funcionar como Centro de Treinamento Agrícola-CTA e passou a trabalhar com as comunidades através do método de educação popular. Tendo como público alvo a infância e adolescência, trabalha incentivando a organização e a formação político-social e ambiental das famílias camponesas na perspectiva dá garantia de direitos e do protagonismo infanto-juvenil com atividades culturais, esportivas e desenvolvimento pelo gesto da leitura, através dá exibição de filmes, gincanas culturais e torneios desportivos. O CCA atualmente, apoiado pela KNH, trabalha na execução do Projeto A voz da Meninada do Semiárido, que atende diretamente três comunidades escolares polo na zona rural e três comunidades Quilombolas. Abrangendo os municípios de Princesa isabel-PB, São José de Princesa-PB, Tavares-PB e Quixaba-PE. Atuando nas áreas: Protagonismo Infanto-juvenil – Sistema de garantia de direitos, Roda de leitura, Brinquedoteca, cinema, torneios e campeonatos; Educação contextualizada: Seminários, hortas escolar e tecnologias de convivência com o Semiárido; Agricultura Familiar e Agroecologia: Formação e Assistência Técnicas, Quintais Produtivos; Comunidades Quilombolas: Diversidade, Memória cultural e Políticas Públicas.

A Missão do CCA é incentivar a organização comunitária de camponeses e camponesas proporcionando espaços de formação e vivências solidárias que garantam a melhoria dá qualidade de vida das crianças e adolescentes do Semiárido.

A entidade tem como objetivo, oferecer formação e capacitação aos camponeses visando a prática dá Agricultura Familiar agroecológica e proporcionar as crianças e adolescentes espaços lúdicos e formativos que auxiliem no desenvolvimento de suas habilidades e potencialidades na convivência com o Semiárido.

Por visão sugere-se: que o FACA seja um centro de formação popular para a agricultura familiar e o protagonismo infanto-juvenil, destacando-se como referência regional de gestão participativa, sustentabilidade social, ecológica e econômica, de controle social e luta pelos direitos das crianças e adolescentes através dos conselhos municipais, contribuindo efetivamente com a promoção dos direitos assegurados pela Convenção dos Direitos das Crianças, pela constituição federal do Brasil e o Estatuto da Criança e Adolescente ECA.

O processo desenvolvido nestes anos faz-nos perceber um crescimento na capacidade organizacional dos camponeses, bem como o crescimento e engajamento dos meninos e meninas na consciência social, política, cultural e ecológica. Percebemos que houve crescimento na educação, melhoria na saúde, e mudança de consciência ecológica e interferência nas políticas públicas, o que motiva a renovar e ampliar o projeto para outros espaços de trabalho com crianças e adolescentes.

Anúncios